Cuidados com sua Visão
 

Apesar de vivermos em um mundo cuja linguagem exige cada vez mais de nossos olhos, nem sempre nos lembramos de cuidar desta área tão fundamental e sensível de nosso corpo. Mas, a saúde dos olhos deve ser observada desde o nascimento, para que se possa prevenir e tratar, o mais cedo possível, todo o tipo de problema que pode surgir ao longo da vida.


Veja os principais cuidados que você deve ser com a sua visão:

•  Antes de mais nada, é preciso visitar o oftalmologista regularmente. Para as pessoas que têm problemas de visão ou que já passaram dos 40 anos, o ideal é que a consulta seja feita a cada seis meses.

•  Outra atitude fundamental é a auto-observação: vista cansada, coceira nos olhos, dificuldade para focalizar imagens, lacrimejamento, todos esses são sintomas de problemas de visão, doenças ou alergias.

•  Os cuidados em relação à televisão e, principalmente, ao uso continuado de computadores, são muito importantes. Recomenda-se que o usuário dê intervalos de uma em uma hora, para descansar os olhos, e que mantenha uma distância de pelo menos 50cm do monitor.

•  Muitas pessoas são mais sensíveis aos raios ultra-violeta do Sol. Por isso, o uso de óculos escuros de boa qualidade (que podem ser ou não de grau, dependendo do caso), é fundamental para proteger a visão.

•  Quem usa lentes de contato deve dar atenção especial à limpeza das lentes, e ao uso continuado dentro dos prazos estabelecidos. Quando isto não é feito, pode haver a proliferação de bactérias dentro dos olhos, o que causa infecções.

Miopia, hipermetropia, astigmatismo, estrabismo ou presbiopia. Entenda melhor os problemas que podem afetar sua visão.


O míope não enxerga bem à distância

Miopia é o problema enfrentado pelas que não conseguem enxergar de longe. Dependendo do grau, o míope não consegue sequer ver televisão sem o uso de óculos ou lentes de contato.

A miopia aparece em pessoas quem têm o olho um pouco maior que o normal, fazendo com que os raios de luz incidam um pouco antes da retina, que é onde as imagens são projetadas e, em seguida, enviadas pelo nervo óptico ao cérebro.

O uso de óculos ou de lentes de contato corrige os desvios provocados pela miopia, colocando a imagem no foco correto.


Hipermetropia: problemas para ver de perto

Com efeitos opostos ao da miopia, quem sofre de hipermetropia tem problemas para enxergar de perto. Isso acontece porque o olho da pessoa que tem hipermetropia é um pouco menor que o normal, fazendo com que o raio de luz incida depois da retina.

Bastante comum em crianças, a hipermetropia pode desaparecer com o crescimento do globo ocular seguindo o desenvolvimento normal da própria criança. Caso não desapareça, os efeitos podem ser corrigidos por meio de óculos ou lentes de contato.


O astigmatismo "borra" a visão

Quem sofre de astigmatismo enxerga os objetos de forma borrada, como se as imagens estivesse desfocadas. Isso acontece devido a uma irregularidade da córnea, que faz com que o raio de luz sofra um desvio antes de atingir a retina, parte do olho que recebe os estímulos visuais.

Os efeitos do astigmatismo podem ser corrigidos com o uso de óculos ou lentes de contato. O astigmatismo pode vir associado a outros problemas como hipermetropia ou miopia.


Estrabismo é o popular "olho torto"

A pessoa que sofre de estrabismo tem o olho entortado para fora ou para dentro, sendo a segunda a forma mais comum, em se tratando de crianças. Por conta dessa alteração ocular, o estrábico tem o olhar desviado e não enxerga bem com o olho alterado.

Nos casos de estrabismo congênito, a criança enxerga corretamente com um dos olhos e com o olho torto, não tem um bom desenvolvimento da visão no cérebro, processo que acontece até os seis anos de idade. Nessa fase, o uso de tampões pode corrigir os efeitos do estrabismo, uma vez que o olho sadio fica tampado, obrigando o olho afetado a desenvolver-se.

Já na idade adulta, alguns casos podem ser resolvidos com cirurgia, que consiste em fazer um fio de sutura para prender o músculo do olho e colocá-lo na posição correta.

O uso dos óculos também é aplicado para os estrábicos, permitindo que eles consigam enxergar normalmente.


Presbiopia ou vista cansada

Nosso olho possui uma lente que se chama cristalino. Essa lente é responsável pela focagem de perto e de longe. Quando jovem, o cristalino é muito flexível e, por isso, é capaz de alterar o foco rapidamente e sem esforço. A partir dos 40 anos, nossos olhos começam a apresentar sinais de fadiga e a isso chamamos presbiopia ou vista cansada. Diferente de uma anomalia visual, esta fadiga se deve a uma perda da capacidade de focagem do cristalino para ver de perto. A isto chamamos de presbiopia ou vista cansada. Não é possível prevenir esta condição ou evitá-la, exatamente por ser um processo normal de envelhecimento do olho.

O primeiro sintoma aparece quando sentimos dificuldade em focar objetos de perto e nossos braços já não esticam o suficiente para possibilitar a leitura. Trabalhos manuais ficam mais difíceis, como enfiar uma linha na agulha, por exemplo. Sempre precisamos de mais luz para enxergar detalhes de perto.


Claridade e a visão

A luz é essencial para a visão. Mas o excesso ou a falta de luz diminui a qualidade visual. Em termos simples, muita luz causa claridade. Claridade - ou brilho extremo - pode ser dispersiva e até mesmo perigosa. Ela pode acontecer durante o dia ou à noite de várias maneiras, tais como a mudança da sombra para luz solar intensa ou quando a luz é refletida de superfícies brilhantes. Os possíveis resultados da claridade são estrabismo, estresse visual, fadiga visual e em casos extremos, cegueira temporária.

 

 
 
 
GWN